Etiópia

Etiópia

Acusações de "terrorismo" para calar a imprensa

Na Etiópia, desde a entrada em vigor da lei antiterrorista em 2009, as acusações de terrorismo são sistematicamente usadas contra jornalistas. Prevendo penas de prisão pesadas, tais acusações permitem a detenção prolongada dos acusados. Após as purgas que levaram ao fechamento de seis jornais e forçaram cerca de trinta jornalistas ao exílio em 2014, a situação não melhorou em nada. Ao contrário: um novo estado de urgência de seis meses foi decretado no fim de fevereiro de 2018, dando sinais de que o governo terá total legitimidade para proibir que se assista ou escute certas mídias e para prender jornalistas críticos ao governo. A Internet e as redes sociais são frequentemente bloqueadas. Ameaças físicas e verbais, processos arbitrários, condenações... qualquer método é usado para silenciar a imprensa.

150
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

0

150 em 2017

Pontuação global

-0.17

50.34 em 2017

Contatos

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro