Espanha

Espanha

Polarização crescente somada à falta de transparência

A pandemia de Covid-19 pôs fim a três anos de violência física contra jornalistas por parte da polícia e também de manifestantes devido, sobretudo, ao conflito catalão e à ascensão da extrema direita (partido VOX). O clima de polarização que persiste e se intensifica na vida política e no posicionamento dos meios de comunicação desde a chegada ao poder da coalizão PSOE (socialistas) e Unidas Podemos (à esquerda) está minando a confiança da sociedade nos jornalistas e reforça o discurso de ódio contra a imprensa. O partido VOX persevera em sua estratégia de estigmatizar e perseguir jornalistas “inimigos”, endurecendo seus abusos cibernéticos e proibindo a cobertura jornalística de eventos do partido. No ano passado, jornalistas criticaram a falta de transparência de Pedro Sánchez e seu governo, bem como a hostilidade do Unidas Podemos e seu líder, Pablo Iglesias, contra certos meios de comunicação e repórteres. Geraram preocupação as coletivas de imprensa em que não foi possível fazer perguntas, ou em que eram respondidas apenas as questões validadas previamente pelo executivo, sobre as medidas tomadas contra a desinformação e os obstáculos impostos a jornalistas que cobrem a chegada de migrantes em território espanhol. O estado de emergência, o confinamento e as fortes restrições aplicadas na Espanha durante os primeiros meses da pandemia agravaram a falta de transparência. Jornalistas tiveram dificuldade para cobrir a trágica realidade dos hospitais e necrotérios, bem como para obter números confiáveis e regulares, que muitas vezes tiveram que calcular por si próprios, sem ajuda do governo.

29
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2021

Posição

0

29 em 2020

Pontuação global

-1.72

22.16 em 2020

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2021
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2021
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2021
Ver o Barômetro