Bulgária

Bulgária

Opacidade e corrupção fragilizam a liberdade de imprensa

No Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa, a Bulgária continua a cair e detém agora a pior pontuação da União Europeia. O país, que ocupa a presidência do Conselho da União Europeia até o fim de junho de 2018, encontra-se agora também atrás de todos os países dos Bálcãs Ocidentais, alguns dos quais candidatos à entrada na UE. A corrupção e a colusão entre meios de comunicação, políticos e oligarcas são extremamente comuns. Um nome tornou-se símbolo deste desvio: Delyan Peevski, ex-chefe de inteligência, deputado e proprietário do New Bulgarian Media Group (seis títulos). Seu grupo controla também cerca de 80% da rede de distribuição dos meios de comunicação do país. A alocação pelo governo de fundos europeus para certos meios de comunicação é feita na maior opacidade, facilitando a corrupção de certos órgãos de imprensa que se mostram assim totalmente complacentes ou evitam abordar assuntos de irritem. Nos últimos meses, as ameaças e ataques contra jornalistas dobraram de intensidade. Ser jornalista na Bulgária pode revelar-se perigoso.

111
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

-2

109 em 2017

Pontuação global

+0.21

35.01 em 2017

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro