Brunei

Brunei

Autocensura político-religiosa no seu auge

A autocensura é a regra para os jornalistas que trabalham na emissora estatal, Radio Television Brunei, mas também nos principais diários, que pertencem diretamente à família do sultão. As autoridades são livres para interferir nas atividades dos jornalistas. Mas isso é raramente necessário, uma vez que o arcabouço legislativo repressivo, tornado extremamente severo com a instauração de uma versão muito rigorosa da sharia, é suficiente para dissuadir a imprensa de qualquer proposta que possa ser interpretada como uma crítica ao sultanato. A lei de sedição pune com três anos qualquer publicação que atente contra a "preeminência da filosofia nacional". Os blogueiros que desejam publicar informações independentes correm o risco de serem processados por difamação, mesmo que em seguida excluam seu artigo. Por uma postagem ou artigo considerado "malicioso", correm o risco de pegar cinco anos de prisão. Finalmente, o novo código penal, adotado em 2019, prevê nada menos que a pena de morte para qualquer publicação ou declaração considerada blasfema ou incentivadora de apostasia.

152
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

0

152 em 2019

Pontuação global

-1.83

51.48 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro