Bósnia-Herzegóvina

Bósnia-Herzegóvina

A deterioração do setor público do audiovisual continua

Clima político polarizado, ataques verbais repetidos, retórica nacionalista ... O ambiente, na Bósnia e Herzegovina, não é propício à liberdade de imprensa. As divisões étnicas são sentidas nas linhas editoriais dos meios de comunicação e os discursos de ódio estão cada vez mais presentes. Os jornalistas continuam sendo alvos de ataques, às vezes por suas origens étnicas, às vezes pelo conteúdo que produzem. Os processos de difamação movidos por políticos costumam ser usados para intimida-los e impedi-los de continuar seu trabalho. A instrumentalização dos meios de comunicação para fins políticos continua, sobretudo para emissoras públicas. Embora os jornalistas tenham revelado nos últimos meses casos de corrupção envolvendo altos funcionários da justiça, emissão de diplomas falsos no ensino médio ou relatórios publicados sobre a importância do terrorismo no país, o ministério público pouco fez para resolver esses problemas. A concentração dos meios de comunicação é preocupante, pois a questão de sua propriedade permanece obscura. As condições de trabalho dos jornalistas, que não dispõem de contratos longos e ganham salários muito baixos, são precárias.

58
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

+5

63 em 2019

Pontuação global

-0.51

29.02 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro