Argélia

Argélia

Uma degradação visível

A liberdade de imprensa foi fortemente erodida no país. Os assuntos tabus - a saúde do chefe de estado, os bens dos dirigentes argelinos, a corrupção... - ainda são numerosos e o estrangulamento econômico dos títulos independentes continua a progredir. Durante o ano de 2016, quatro blogueiros e profissionais das mídias foram presos por fatos relacionados a suas publicações. A morte em detenção, em 11 de dezembro de 2016, do jornalista anglo-argelino Mohamed Tamalt, preso por causa de posts nas redes sociais julgados ofensivos ao presidente da república, foi um enorme choque para a opinião pública e levantou questionamentos sobre as condições de detenção dos prisioneiros. Em greve de fome durante vários meses, Tamalt teria sofrido maus tratos físicos. Após a sua morte, nenhuma investigação foi aberta e o pedido de contra-autópsia feito pela família permanece não atendido até o momento.

134
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

-5

129 em 2016

Pontuação global

+1.14

41.69 em 2016

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro