Angola

Angola

Uma imprensa sob controle há 40 anos

Em cerca de 40 anos, o governo do presidente José Eduardo Santos colocou quase todas as mídias angolanas sob forte vigilância. Apesar de uma abertura muito modesta que deu fim ao monopólio estatal da televisão, o controle dos jornalistas ainda é permanente, sobretudo através do delito de difamação, ou de métodos mais diretos como a prisão dos jornalistas críticos demais. EM 2016, o governo aprovou uma série de quatro leis sobre mídias e comunicação que centraliza os poderes de cadastro e de sanções aplicadas a jornalistas e mídias nas mãos de um órgão regulador controlado pelo governo. Essas leis obrigam as mídias audiovisuais a retransmitiras declarações oficiais do presidente à Nação e facilitam também as queixas de difamação. Um controle da imprensa foi assim reforçado alguns meses antes das eleições presidenciais de agosto de 2017, nas quais o presidente Dos Santos afirmou que não se apresentará.

125
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

-2

123 em 2016

Pontuação global

+0.53

39.89 em 2016

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro