Albânia

Albânia

Lei contra difamação impõe sérios riscos à liberdade de imprensa

Em 2019, o governo usou o pretexto de combater notícias falsas para intensificar suas tentativas de atacar a imprensa. Em dezembro, foi aprovada uma lei contra a difamação que endurece os regulamentos sobre os meios de comunicação online. Esta pode aumentar a censura e enfraquecer os jornalistas diante da pressão do governo. Após a visita do Presidente do Parlamento Europeu à Albânia e as críticas de sete organizações de defesa da liberdade de imprensa, incluindo a RSF, o processo foi suspenso e ainda estava suspenso em meados de março de 2020. Esta lei prejudicaria ainda mais a liberdade de imprensa em um país onde o governo restringe o acesso dos jornalistas a informações oficiais e controla o cenário do audiovisual por meio da atribuição das licenças de transmissão. O ano de 2019 também foi marcado pelo uso abusivo de uma situação de crise para restringir ainda mais a liberdade de informação. Quando o país sofreu um terremoto terrível, dois jornalistas e um ativista foram presos por terem divulgado notícias falsas e causado pânico. Alguns veículos online que criticavam as ações do governo foram fechados. Em março de 2020, quando a crise sanitária do coronavírus começou, o primeiro-ministro Edi Rama pediu aos cidadãos que se protegessem, inclusive da imprensa. As agressões físicas e a difamação contra jornalistas por funcionários do governo estão aumentando e contribuindo para um clima de insegurança e intimidação. A isso se somam os discursos depreciativos de certos políticos, que transformam os repórteres em potenciais alvos de agressão. As autoridades evitam no entanto sanções mais duras, num momento em que o país aspira ingressar na União Europeia.

84
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

-2

82 em 2019

Pontuação global

+0.41

29.84 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro