África do Sul

África do Sul

Uma liberdade de imprensa garantida mas frágil

Na África do Sul, a Constituição de 1996 protege a liberdade da imprensa, muito diversificada no país. Porém, textos que datam da época do apartheid e das leis antiterroristas votadas em 2004 são usadas para limitar as reportagens sobre as instituições consideradas como de "interesse nacional". Alguns jornalistas são espionados e são alvo de escutas da agência de segurança do Estado. Outros são pressionados e intimidados quando abordam determinados tópicos sobre o Congresso Nacional Africano (ANC), o partido no poder, as finanças do governo, a redistribuição de terras aos negros ou a corrupção. Em 2018, a proliferação de discursos de incitamento ao ódio contra jornalistas por um dos líderes da oposição confirmou o quanto a liberdade de imprensa ainda precisa ser consolidada no país.

31
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

-3

28 em 2018

Pontuação global

+1.80

20.39 em 2018

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro