Brasil: RSF pede uma investigação transparente e rigorosa após assassinato de jornalista

Após o assassinato de um jornalista em Fortaleza, capital do estado do Ceará, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) pede às autoridades locais que mobilizem todos os recursos necessários para conduzir uma ampla investigação que permita identificar os autores desse ato injustificável.

Em Pirambu, bairro da cidade de Fortaleza (capital do estado do Ceará, na região nordeste do país), o jornalista Givanildo Oliveira foi covardemente assassinado, na noite do 7 de fevereiro, por um homem armado que o derrubou no meio da rua pelas costas e disparou ao menos três vezes.


Givanildo Oliveira era o fundador e dono do site de notícias Pirambu News. O portal se dedicava a cobrir assuntos locais, com destaque para notícias do bairro. A violência e a criminalidade na região, incluindo notícias sobre operações policiais, eram temas recorrentes. Algumas horas antes do assassinato, ele publicou um artigo sobre a prisão de um suspeito de ter cometido um duplo homicídio no mesmo bairro na véspera. 


De acordo com as informações levantadas pela RSF, Givanildo Oliveira já havia comentado ter sofrido intimidações e pressões para que retirasse determinados conteúdos publicados no site. Jornalistas da cidade relataram à RSF que o bairro de Pirambu é conhecido pela atuação violenta de grupos criminosos.


As circunstâncias que sugerem uma relação direta entre a atividade jornalística exercida por Givanildo Oliveira e seu assassinato devem ser levadas a sério e consideras como prioritárias na linha de investigação sobre o crime”, declarou o diretor do escritório regional da RSF para a América Latina, Emmanuel Colombié. “As autoridades locais devem conduzir uma investigação rigorosa e transparente para identificar os autores e mandantes desse crime."


Horas após o assassinato, o governador do estado do Ceará, Camilo Santana, se manifestou publicamente sobre diversos episódios recentes de violência que ocorreram na cidade, entre os quais o assassinato de Givanildo Oliveira. Ele afirmou que cobrou das forças de segurança uma investigação imediata para responsabilizar todos os envolvidos. A RSF vai acompanhar os desdobramentos do caso e pressionar as autoridades para que o assassinato do comunicador não fique impune. 


Givanildo Oliveira é o primeiro comunicador assassinado no Brasil em 2022. De acordo com os dados da RSF, ao menos 30 jornalistas e comunicadores foram assassinados no país ao longo da última década. 


O Brasil ocupa a 111a posição, entre 180 países, no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa de 2021, elaborado pela Repórteres sem Fronteiras. 

Publié le 15.02.2022
Mise à jour le 15.02.2022